MENU

WhatsApp de pastor

A problematização do desnecessário


WhatsApp de pastor

O pastor abre o whatsapp.

A irmã Doquinha está revoltada. Agendou ensaio do coral para as 15hs, mas a irmã Cleide, mulher do irmão Zózimo, disse que ele também marcou ensaio no mesmo horário com seu conjunto.

Onde já se viu? Ela marcou primeiro. Tem que se preparar, pois cantarão dois louvores no domingo. ABRIR MÃO DESTE ENSAIO É IMPENSÁVEL!

O irmão Alfredo, que descobriu o facebook junto com a aposentadoria, printou uma postagem de um jovem instrumentista com referência a uma música do mundo! ONDE JÁ SE VIU! Cadê o testemunho? Precisa-se fazer algo URGENTEMENTE!

Quatro pessoas diferentes avisam que precisam orar mais pela filha desviada da irmã Liliana, que está postando fotos indecentes no instagram de novo!

Por algum incompreensível motivo, mesmo considerando as fotos indecentes, estão sempre olhando.

No grupo da Igreja o irmão Fidélis compartilhou um versículo que não existe. Vinte pessoas disseram amém e postaram imagens de mãozinhas unidas em sinal de oração.

No outro grupo, só de líderes, o irmão Glauco repassou uma mensagem que alerta todos de que não há mais dúvida: Donald Trump é o anticristo e a marca da besta está começando a ser imposta nas pessoas nos Estados Unidos.

A irmã Fúlvia envia um vídeo de um mover do espírito acontecendo numa igreja. Todos começam a engatinhar e a agir como bebês, pois o espírito santo quer que a adoração seja tal qual a inocência das crianças.

Não é uma benção?

A irmã Doquinha insiste.  Quer saber se o irmão Zózimo já foi repreendido por se apropriar do horário de ensaio dela? Não abrirá mão, DE JEITO NENHUM!

A irmã Júlia marcou confraternização dos jovens pro último sábado do mês, que é dia de estudo para casais. Os líderes de casais já avisaram que não vão ficar na sala anexa, que é menor, precisam do salão principal. Júlia disse que no anexo não dá. É pequeno para eles.

Ninguém aceita mudar a data.

O irmão Sabino já avisa de primeira que não gosta de fofocas, o pastor sabe, o conhece há muito tempo, mas que se encontrou com o irmão Turíbio no mercado e ele comentou que o irmão Evaldo acusou as jovens de dançarem no culto com lascívia e que a irmã Darlene adulterou com o irmão do ex noivo.

A irmã Dalva não quer confusão pro lado dela, mas sua filha lhe mostrou que o irmão Nilson brigou com alguém no twitter por causa do time de futebol e usou palavra de baixo calão.

No grupo, o irmão Paulino repassa uma corrente: Quem quiser ser abençoado, passe para todos os seus contatos. Quem não quiser, só olhe.

O irmão Amânsio, professor de Escola Dominical, chegou às vias de fato verbais com um interlocutor num debate facebookiano sobre predestinação e livre-arbítrio.

A irmã Tânia está se psicanalisando pelo facebook de novo, avisando a todos que não está bem e se consolando com as mensagens curiosas disfarçadas de consolo.

Irmão Januário, com a santidade que lhe é própria, está orando via facebook de novo. Tomara que o wi-fi do céu esteja bom para que Deus receba!

No grupo, a irmã Cileide avisa para ninguém mais tomar um determinado refrigerante que possui um componente proposital que causa câncer. A empresa é aliada de uma indústria farmacêutica e o objetivo é aumentar os lucros com quimioterápicos.

O pastor fecha o Whatsapp.

O telefone toca.

É a irmã Doquinha.

Quer saber se ele já mandou o irmão Zózimo desmarcar seu ensaio.



Renan Alves da Cruz é historiador, professor de Escola Bíblica Dominical e colunista de política e cultura do portal Voltemos à Direita.


Deixe sua opinião!