MENU

Você é um cristão “pé no chão”?

Como as pessoas hoje estão com um espírito de descolamento da realidade


Você é um cristão "pé no chão"?

Em 6 de setembro de 2018, houve o atentado ao candidato à Presidência Jair Bolsonaro em Juiz de Fora/MG, quando ele acabou sendo esfaqueado por um cara chamado Adélio Bispo, havendo até o momento, dúvidas sobre a participação de outras pessoas.

Além deste evento já demonstrar a alta polarização que vemos hoje no Brasil, em inúmeras áreas, principalmente na política, algo que me chamou a atenção, foi a quantidade de informações desencontradas e, principalmente, de teorias conspiratórias, mesmo o fato tendo se dado à luz do dia com várias filmagens, fotos, atendimentos médicos, etc.

De um lado, vi pessoas falando com uma convicção impressionante, porém sem provas algumas, que aquilo tudo era uma armação política de Bolsonaro, para ganhar votos. Invocavam até o atentado da rua Tonelero, que teria sido uma suposta farsa protagonizada pelo político Carlos Lacerda, em 1954, em frente à sua residência, em Copacabana, que culminou com a morte do major-aviador Florentino Vaz e no ferimento do guarda municipal Sálvio Romeiro.

E com o mesmo espírito conspiracionista, vi gente dizendo que é certo que o PT seria o mandante do crime, chegando ao absurdo de criarem uma foto falsa viralizada na internet, mostrando a cara do agressor de Bolsonaro no meio de uma passeata com Lula. Porém, sem nenhuma prova até aqui desta participação.

Diante destes fatos, fiquei pensando como as pessoas hoje estão com um espírito de DESCOLAMENTO DA REALIDADE. Parece que a realidade está tão difícil e pesada para a maioria das pessoas, que elas acabam vivendo em uma espécie de realidade virtual, para tentarem se proteger de uma realidade que se mostra muito dura. É como se estivessem mentindo para si mesmo e muitas vezes sem nem perceber isso.

E no momento em que as pessoas vivem a cada dia mais separadas e desunidas, cada um em seus grupinhos existenciais, a tendência é criar uma realidade virtual que se amolde apenas à suas conveniências pessoais.

Assim, no exemplo que citei, se é um político que eu não gosto, eu embarco na versão que me parece mais agradável para atacá-lo e vice-versa. Porém, sem nem parar para se perguntar se aquilo muitas vezes é verdade ou não.

Infelizmente, vejo alguns cristãos que possuem essa tendência de ver conspirações em tudo, sendo facilmente levados a acreditar em coisas fantasiosas, sem parar para pensar de forma racional se há evidências e provas daquilo.

Daí, haver a necessidade de buscarem discernimento em Deus, como nos exorta Jesus, em João 8:32: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”.

Creio que essa liberdade virá quando tivermos a clara disposição de pautar nossa vida apenas na verdade, evitando o comportamento leviano de levantar fatos sem saber nem se são verdadeiros. Daí, a necessidade de se buscar sabedoria, sob pena de estarmos sendo apenas agentes que estão a fomentar mais confusões e divisões em um mundo já bastando complicado.



Procurador da Fazenda/Professor. Membro da Igreja Presbiteriana do Brasil

Assuntos:


Deixe sua opinião!